Docentes da Poli-USP tomam posse como professores titulares

pro

Professores alcançaram o topo da carreira docente ao se dedicarem à Universidade nos âmbitos das atividades de ensino, pesquisa e extensão

Dez docentes assumirão o cargo de professores titulares na Escola Politécnica da USP (Poli-USP) e participarão de uma uma solenidade no dia 22 de fevereiro de 2018. Eduardo Aoun Tannuri, Fernando José Gomes Landgraf, Galo Antonio Carrillo Le Roux, João Francisco Justo Filho, José Tadeu Balbo, Marly Monteiro de Carvalho, Pedro de Alcântara Pessoa Filho, Raúl Gonzalez Lima, Roque Passos Piveli e Vanderley Moacyr John serão os empossados no cargo, que representa o topo da carreira na docência na USP. O evento é reservado aos convidados, e será realizado no Auditório Professor Francisco Romeu Landi, no prédio da Administração da Escola Politécnica da USP.

O cargo de Professor Titular expressa o reconhecimento da trajetória  desses  profissionais, cujas carreiras são marcadas pela formação altamente especializada e pela excelência de suas  ações nos três campos de atuação da Universidade: o  ensino, a pesquisa e a extensão. O Diretor da Poli-USP, professor José Roberto Castilho Piqueira, explica que o Professor Titular é responsável pela definição dos rumos da instituição sob os diversos pontos de vista: estrutura dos cursos de graduação e pós-graduação, linhas de pesquisa e relações com a comunidade. “Além disso, deve liderar os trabalhos dos laboratórios, com planejamento, orientação e novas ideias. Na Engenharia, em particular, deve contribuir para as definições de políticas públicas relacionadas à qualidade de vida da população”.

Ao longo de suas carreiras, eles contribuíram com a formação mão-de-obra qualificada, produziram conhecimento científico relevante e desenvolveram ações no campo da extensão, transferindo para a sociedade parte do conhecimento que adquiriram na academia e ajudando no desenvolvimento do País. “De maneira geral, são profissionais de carreira longa e produtiva, construída dentro de altos padrões éticos e de excelência”, ressalta Piqueira. O título, obtido por concurso interno altamente concorrido, demonstra que o professor realizou com maestria suas funções no âmbito da USP, que figura nos principais rankings internacionais e produz 20% dos documentos de pesquisa científica no Brasil.

Para um jovem acadêmico, que aspira contribuir com a sociedade em todas as situações em que sua especialidade de trabalho seja relevante, estes professores são verdadeiros exemplos.

Como um docente se torna um Professor Titular?

Para se candidatar ao cargo, o professor da USP deve ter o título de Livre-Docente, obtido por meio de concurso público, e que atesta uma qualidade superior na docência e na pesquisa, conforme explica o artigo. O concurso compreende um julgamento de títulos, uma prova pública oral de erudição e uma prova pública de arguição.

A Comissão Julgadora é composta por cinco professores titulares, que levam em consideração diversos critérios do Regimento da USP e da Poli, como, por exemplo, a produção científica e técnica e seus impactos; atividades profissionais, criatividade e originalidade; capacidade de liderança, de organização e de direção; a qualidade das atividades didáticas; orientações de teses e dissertações; projetos de pesquisa apoiados por agências de fomento ou pela indústria; a responsabilidade por disciplinas de graduação e pós-graduação; atividades administrativas dentro e fora da Universidade; atividades de extensão fora da USP; além de honrarias e premiações.

A funcionária Michele Santos, que atua no Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos, setor que cuida da parte administrativa dos concursos da Poli-USP, ressalta que os candidatos são de altíssimo nível e os concursos costumam ser bastante concorridos. E complementa que, mesmo com o alto padrão de exigência, há uma Comissão trabalhando para revisar e aprimorar estes critérios, tanto para os concursos de Livre-Docente quanto para Titular na Poli-USP.