RCGI busca inovações para reduzir emissões de gases de efeito estufa

Centro de pesquisa sediado na Poli-USP entra em nova fase, e pesquisas agora serão focadas em inovações que possibilitem ao Brasil atingir os compromissos assumidos no Acordo de Paris, no âmbito das NDCs – Nationally Determined Contributions.

Na última sexta-feira, 8 de outubro, a Escola Politécnica da USP sediou uma cerimônia de lançamento da nova fase do centro de pesquisa RCGI, que passou de Research Centre for Gas Innovation, para Research Centre for Greenhouse Gas Innovation. Participaram da cerimônia o governador do Estado de São Paulo, João Doria; a Secretária de Desenvolvimento Econômico do estado, Patrícia Ellen da Silva; o reitor Vahan Agopyan; o CEO da Shell do Brasil, André Lopes de Araújo; o vice-presidente da Fapesp, Ronaldo Aloise Pilli; o vice-diretor em exercício da Poli, Reinaldo Giudici; e do diretor-geral do RCGI, Julio Meneghini.

Durante o evento foi anunciado o investimento de R$ 63 milhões pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a Shell, para esta nova fase do centro de pesquisa. O diretor geral e científico do RCGI, Julio Meneghini, professor do Departamento de Engenharia Mecânica da Poli, conta que a partir de agora, as pesquisas do RCGI passam a ser focadas em inovações que possibilitem ao Brasil atingir os compromissos assumidos no Acordo de Paris, no âmbito das NDCs – Nationally Determined Contributions. “Para este desafio, sabemos que não bastam soluções que reduzam as emissões de gases de efeito estufa (GEEs). É preciso ir além: capturar e armazenar carbono; transformar CO2 em matéria-prima para a indústria química; e superar gargalos de mercado, de regulação e de percepção pública. É neste cenário que iremos atuar com nossos projetos”.

Neste texto, o RCGI detalha os projetos disruptivos propostos. Os cinco programas articulam 19 projetos de pesquisa, vários deles com potencial para serem disruptivos.

Sediado na Poli, o RCGI foi criado em 2015 financiado pela Fapesp e Shell, e conta com cerca de 400 pesquisadores, atuando em 46 projetos de pesquisa focados em estudos avançados no uso sustentável do gás natural, biogás, hidrogênio, gestão, transporte, armazenamento e uso de CO2.

O vice-diretor da Poli, Reinaldo Giudici, destaca que o RCGI é um dos melhores exemplos de projeto multidisciplinar, integrado, comprometido com uma temática atual e de alta relevância mundial. “O centro estuda  os diversos problemas associados aos gases de efeito estufa (em especial dióxido de carbono e metano), e desenvolve soluções envolvendo, entre outros aspectos, a redução de emissões, a captura, o armazenamento e a conversão destes gases em produtos úteis”.

Durante a cerimônia, o reitor da USP, Vahan Agopyan, ressaltou que “esse é um projeto de grande envergadura, que abrange desde a ciência básica até a aplicação em campo. Mas, além dos resultados de curto e médio prazo, é interessante chamar a atenção para os resultados futuros. Somos uma universidade de pesquisa, que forma alunos em um ambiente de pesquisa. Projetos como esse criam na Universidade um ambiente instigante, que influenciará os jovens ao longo de toda a sua carreira profissional. Estamos cultivando aqui o nosso futuro”.

Giudici explica que o RCGI é um projeto de grande porte que envolve a Engenharia atuando com integração de diferentes áreas do conhecimento, juntando esforços de professores e pesquisadores da Escola Politécnica em parcerias com outras unidades da USP, com outras universidades do Brasil e do exterior. “Propicia um ambiente vibrante e rico em oportunidades e problemas desafiadores para a formação de nossos engenheiros, mestres e doutores. O centro é um dos nossos melhores “cartões de visita”, que dá uma grande visibilidade para a Escola Politécnica e para a USP. A Poli se orgulha muito em sediar e coordenar as atividades deste grande projeto”.

O docente destaca ainda que as atividades desenvolvidas e os resultados obtidos no RCGI estão forte e claramente vinculados à missão da Poli, “mostrando a nossa Escola como uma instituição geradora de conhecimento e formadora de profissionais em Engenharia com excelência científica e técnica, capazes de realizar pesquisas e obter soluções inovadoras de alta relevância e impacto para a sociedade”.

Com informações da Agência FapespJornal da USP e do RCGI.

O investimento foi anunciado em uma cerimônia realizada no dia 8 de outubro, com a presença do governador João Doria – Foto: Marcos Santos/USP.