Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte


Cientistas apresentam pesquisas sobre mecânica computacional na Poli-USP

Workshop Teuto-Brasileiro em Mecânica Computacional tem por objetivo estreitar laços entre pesquisadores de ambos os países.

Cerca de 120 pesquisadores participam da primeira edição do Workshop Teuto-Brasileiro em Mecânica Computacional na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), que termina nesta terça-feira (20/02). Trata-se de um evento internacional, que reúne pesquisadores não só do Brasil e da Alemanha, como de outros países, como França, vindos de diversas instituições nacionais e estrangeiras.

Dois dos pesquisadores de maior destaque em Mecânica Computacional participaram da abertura do workshop, promovido pelo professor Paulo de Mattos Pimenta, do Departamento de Engenharia de Estruturas e Geotécnica (PEF) da Poli-USP. São os alemães Peter Wriggers, vice-reitor e catedrático em Mecânica Computacional na Faculdade de Engenharia Mecânica da Universidade Leibniz de Hannover, e Jörg Schröder, pró-reitor de Pesquisa e catedrático de Mecânica Computacional na Faculdade de Engenharia Civil da Universidade de Duisburg-Essen.

Representando o reitor da USP, professor Vahan Agopyan, a pró-reitora de Pesquisa, professora Marta Teresa da Silva Arretche, parabenizou a todos pela realização do evento. “Este é o resultado de uma longa colaboração, que promove o encontro de professores, pesquisadores e estudantes, e uma excelente iniciativa para ampliação dessa parceria”, disse.

Ela destacou ainda a liderança da Poli-USP na Engenharia brasileira e sua contribuição em relação à pesquisa e formação de alunos, atuação junto a projetos de aplicação na indústria, e promoção da internacionalização da Universidade, com a realização de programas de intercâmbio e duplo diploma. “Iniciativas como essa, que buscam ampliar a cooperação internacional, são mais do que bem-vindas pela USP”, completou.

A intenção de ampliar a cooperação foi reforçada por Peter Wriggers e Jörg Schröder em suas breves saudações na abertura. “Temos uma longa história de uma frutífera colaboração com os brasileiros, são mais de dez aos trabalhando juntos”, apontou Wriggers. Ele afirmou ter grande interesse em promover o intercâmbio especialmente entre doutores, para intensificar ainda mais a troca de conhecimento científico entre os países.

Coube ao professor Henrique Lindenberg Neto, presidente da Comissão de Relações Internacionais (CRInt-Poli), fazer uma apresentação geral da Escola aos presentes. Em virtude do workshop ser organizado em parceria com instituições da Alemanha, ele enfatizou a grande proximidade da Poli com aquele país, contando que o fundador da Poli, Antonio Francisco de Paula Souza, concluiu sua formação em Engenharia na Alemanha, e que o arquiteto alemão Maximilian Emil Hehl, que projetou a Catedral da Sé, foi docente da instituição. Ele também mostrou indicadores do programa de dupla diploma da Poli envolvendo universidades e institutos alemãos, dos programas de intercâmbio, em que alunos politécnicos fazem parte da sua graduação na Alemanha, e sobre alunos alemães que vêm para a Poli para complementar seus estudos.

Já o professor Gilberto Francisco Martha de Souza, presidente da Comissão de Pesquisa da Poli-USP, ressaltou a importância do tema. “A Mecânica Computacional é importante para quase todas das áreas da Engenharia”, afirmou.

Segundo o organizador do workshop, chefe do Departamento de Estruturas e Geotecnia (PEF) da Poli-USP, professor Paulo de Mattos Pimenta, a Mecânica Computacional possibilita desenvolver ferramentas para simular e testar sistemas que hoje são cada vez mais complexos e lidam com grande quantidade de variáveis, uma área de aplicação transversal na Engenharia. “Vamos ver apresentações de alguns dos melhores pesquisadores da área durante esse workshop, é uma grande oportunidade”, comentou o docente, que anunciou a realização de outro evento sobre o tema ainda este ano, o XXXIX Congresso Ibero-Latino-Americano de Métodos Computacionais em Engenharia (Cilamce) em Paris e Compiège, na França, no mês de novembro. Ele é coorganizador desse encontro.

O Workshop Teuto-Brasileiro é resultado de um trabalho que o professor Pimenta vem desenvolvendo em cooperação com Alemanha já há alguns anos. Ele foi o primeiro pesquisador brasileiro, e o primeiro engenheiro do mundo, a ser agraciado com o Georg Forster Research Award, concedido pela Fundação Alexander von Humboldt, da Alemanha. Como parte do prêmio, ele atuou a partir de 2015 na Universidade de Duisburg-Essen, com o objetivo de estruturar um grupo de pesquisa conjunto de Mecânica Computacional.

Clique aqui para conferir as fotos da abertura do evento no Flickr da Poli-USP. 

Última atualização em Seg, 19 de Fevereiro de 2018 15:30
 

Professor da Poli dá nome à turma de engenharia ambiental da Universidade do Estado do Pará

Luis Enrique Sánchez é docente da Escola Politécnica da USP desde 1990, tendo dedicado suas atividades em áreas de planejamento e gestão ambiental

Luis Enrique Sánchez, Professor Titular da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), foi escolhido pelos formandos de graduação em Engenharia Ambiental da Universidade do Estado do Pará (UEPA) para nomear a turma que se graduou no dia 25 de janeiro, em Marabá, PA. O docente é autor do livro "Avaliação de Impacto Ambiental: Conceitos e Métodos", utilizado em cursos de Engenharia e de Gestão Ambiental em várias universidades brasileiras e, em 2015, foi patrono da turma de Gestão Ambiental da ESALQ-USP.

A recém-formada engenheira ambiental e representante da turma, Tathiane Silva, relata que foi uma honra escolher o nome do docente da USP. “Todos concordaram que, como profissional, mesmo que pertencendo à uma outra engenharia, contribuiu significativamente para nossa formação. Sua literatura serviu como uma base extremamente importante ao longo dos cinco anos de curso, e ficamos imensamente gratos por ter aceitado participar conosco desse momento, ainda que indiretamente, com palavras de motivação e inspiração”.

O professor Luis Enrique Sánchez iniciou a carreira docente na Poli-USP em 1990, tornou-se professor titular em 2005, e suas atividades de docência e pesquisa concentram-se em áreas de planejamento e gestão ambiental. Graduado em Engenharia de Minas e em Geografia, ambos pela USP, concluiu seu doutorado em economia dos recursos naturais na Escola de Minas de Paris, em 1989. Desde 1992 é membro da International Association for Impact Assessment (IAIA), entidade da qual foi diretor (1998-2001) e presidente (2012-2013). É autor, entre outras obras, de “Desengenharia: o Passivo Ambiental na Desativação de Empreendimentos Industriais” (Edusp, 2001) e de mais de 40 artigos em periódicos acadêmicos. Os mais recente são: “Por que não avança a avaliação ambiental estratégica no Brasil”, Estudos Avançados 31(89): p. 167-183, 2017, e “O que diz a pesquisa acadêmica sobre avaliação de impacto e licenciamento ambiental no Brasil?”, Ambiente & Sociedade 20(1): 245-278, 2017.

 

Docentes da Poli-USP tomam posse como professores titulares

Professores alcançaram o topo da carreira docente ao se dedicarem à Universidade nos âmbitos das atividades de ensino, pesquisa e extensão

Dez docentes assumirão o cargo de professores titulares na Escola Politécnica da USP (Poli-USP) e participarão de uma uma solenidade no dia 22 de fevereiro de 2018. Eduardo Aoun Tannuri, Fernando José Gomes Landgraf, Galo Antonio Carrillo Le Roux, João Francisco Justo Filho, José Tadeu Balbo, Marly Monteiro de Carvalho, Pedro de Alcântara Pessoa Filho, Raúl Gonzalez Lima, Roque Passos Piveli e Vanderley Moacyr John serão os empossados no cargo, que representa o topo da carreira na docência na USP. O evento é reservado aos convidados, e será realizado no Auditório Professor Francisco Romeu Landi, no prédio da Administração da Escola Politécnica da USP.

O cargo de Professor Titular expressa o reconhecimento da trajetória  desses  profissionais, cujas carreiras são marcadas pela formação altamente especializada e pela excelência de suas  ações nos três campos de atuação da Universidade: o  ensino, a pesquisa e a extensão. O Diretor da Poli-USP, professor José Roberto Castilho Piqueira, explica que o Professor Titular é responsável pela definição dos rumos da instituição sob os diversos pontos de vista: estrutura dos cursos de graduação e pós-graduação, linhas de pesquisa e relações com a comunidade. “Além disso, deve liderar os trabalhos dos laboratórios, com planejamento, orientação e novas ideias. Na Engenharia, em particular, deve contribuir para as definições de políticas públicas relacionadas à qualidade de vida da população”.

Ao longo de suas carreiras, eles contribuíram com a formação mão-de-obra qualificada, produziram conhecimento científico relevante e desenvolveram ações no campo da extensão, transferindo para a sociedade parte do conhecimento que adquiriram na academia e ajudando no desenvolvimento do País. “De maneira geral, são profissionais de carreira longa e produtiva, construída dentro de altos padrões éticos e de excelência”, ressalta Piqueira. O título, obtido por concurso interno altamente concorrido, demonstra que o professor realizou com maestria suas funções no âmbito da USP, que figura nos principais rankings internacionais e produz 20% dos documentos de pesquisa científica no Brasil.

Para um jovem acadêmico, que aspira contribuir com a sociedade em todas as situações em que sua especialidade de trabalho seja relevante, estes professores são verdadeiros exemplos.

Como um docente se torna um Professor Titular?

Para se candidatar ao cargo, o professor da USP deve ter o título de Livre-Docente, obtido por meio de concurso público, e que atesta uma qualidade superior na docência e na pesquisa, conforme explica o artigo. O concurso compreende um julgamento de títulos, uma prova pública oral de erudição e uma prova pública de arguição.

A Comissão Julgadora é composta por cinco professores titulares, que levam em consideração diversos critérios do Regimento da USP e da Poli, como, por exemplo, a produção científica e técnica e seus impactos; atividades profissionais, criatividade e originalidade; capacidade de liderança, de organização e de direção; a qualidade das atividades didáticas; orientações de teses e dissertações; projetos de pesquisa apoiados por agências de fomento ou pela indústria; a responsabilidade por disciplinas de graduação e pós-graduação; atividades administrativas dentro e fora da Universidade; atividades de extensão fora da USP; além de honrarias e premiações.

A funcionária Michele Santos, que atua no Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos, setor que cuida da parte administrativa dos concursos da Poli-USP, ressalta que os candidatos são de altíssimo nível e os concursos costumam ser bastante concorridos. E complementa que, mesmo com o alto padrão de exigência, há uma Comissão trabalhando para revisar e aprimorar estes critérios, tanto para os concursos de Livre-Docente quanto para Titular na Poli-USP.

Última atualização em Seg, 19 de Fevereiro de 2018 11:59
 

Matrícula na Poli-USP é marcada por clima festivo

Calouros foram recepcionados pelos veteranos e participaram de atividades como a luta com cotonetes, o futebol de sabão e corte de cabelo para doação.

A maior parte dos aprovados pela Fuvesp para os cursos de engenharia da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) já efetuou sua matrícula. Na primeira chamada da matrícula, realizada hoje (15/2) no campus da USP do Butantã, em São Paulo, compareceram 650 ingressantes entre os 783 candidatos que disputaram uma das vagas no vestibular. Os demais têm até amanhã, sexta-feira, para garantir sua vaga.

A Diretoria da Poli mobilizou 75 funcionários para o processo de matrícula, que foi realizado nas dependências do prédio do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola. Os calouros também foram recebidos com muita festa. Veteranos integrantes dos centros acadêmicos, da Atlética, do Grêmio e dos coletivos organizaram diversas atividades para dar as boas-vindas aos novatos.

No terreno ao lado do prédio da Administração, foram realizados torneios de futebol de sabão e luta com cotonete, ao som de um DJ. Os veteranos também montaram estandes com mostras das diversas atividades que os alunos da Poli costumam desenvolver: robôs, veículos Baja, avião, drone, entre outras. O público assistiu ainda a apresentações da Rateria da Poli e da equipe Olympus Cheerleading USP – esporte coletivo que mistura elementos de ginástica artística, dança e pirâmides humanas, muito conhecido no futebol americano.

Outra ação promovida foi uma campanha de corte e doação de cabelos, realizada pelo Poli Social em parceira com a Amor em Mechas. A entidade produz perucas a partir de cabelos doados para mulheres que passam por tratamento de quimioterapia ou que sofrem de alopecia, doença que causa perda de cabelos.

Nesta semana haverá uma pausa nas atividades, que serão retomadas no próximo domingo (25/2) com a Semana Poli de Recepção aos Calouros, quando haverá reunião de pais, aula inaugural (uma em São Paulo, dia 26 de fevereiro, e outra em Santos, dia 28) e uma semana de palestras e visitas no campus. Fique de olho no site e siga as redes sociais da Poli-USP para obter informações atualizadas sobre a programação da Semana de Recepção 2018.

Confira no Flickr da Poli as fotos do primeiro dia da matrícula.

 

Equipe Poli de Baja lança novo carro para competição nacional

O Poli Aurora foi criado para participar da próxima competição universitária em 22 de fevereiro 

O grupo de extensão da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) Poli de Baja lançou, em cerimônia realizada no dia 8 de fevereiro, o novo carro destinado a participar de campeonatos universitários, o Poli Aurora. O lançamento do Aurora marcou a aposentadoria do Cronos, veículo utilizado em 2017.

Segundo Samuel Monção, capitão da equipe, o novo protótipo promete levar as características do último carro do Baja, o Cronos, além de conter melhorias adicionais feitas pelos estudantes. “Mudamos, por exemplo, a suspensão traseira, um projeto no qual nos dedicamos o ano inteiro”, explica. A estrutura do Aurora, apesar de parecer a mesma do anterior, também foi modificada: seus canos de sustentação agora têm ângulos diferentes, tudo para otimizar a performance do mesmo.

O Poli Aurora é um protótipo off-road, que em sua tradução literal significa um protótipo de veículo destinado a correr fora de estradas asfaltadas. Isso quer dizer que ele é projetado justamente para andar em terrenos adversos e suportar diversas condições de terreno. “A proposta é fazer um veículo que possa superar qualquer tipo de obstáculo”, conta o capitão. Por isso, é necessário saber balancear características como rapidez e resistência. “Não adianta projetarmos um carro que seja resistente mas pese 300 quilos, e nem um carro leve e rápido que não aguente a primeira curva”.

Todas as peças do Aurora foram feitas sob medida, ou seja, são únicas e foram desenvolvidas especialmente para ele. O que pode ser uma vantagem para o veículo, mas também dificulta a troca das mesmas em caso de danos. “Fazemos muitas peças reservas pensando justamente na competição”.

A equipe pretende, com o lançamento, estrear o Poli Aurora na próxima competição nacional universitária, a Baja Sae Brasil, que ocorrerá entre os dias 22 e 25 de fevereiro. Ela reunirá 90 grupos de alunos universitários de todo o país em São José dos Campos para quatro dias de torneio. As equipes serão divididas em provas dinâmicas, que medirão as características do carro como capacidade de tração e aceleração do veículo, apresentações dos projetos aos juízes (geralmente pertencentes à indústria automotiva), e por fim na prova de enduro de resistência, onde os carros deverão correr durante quatro horas seguidas.

Monção explica a dificuldade de participar da prova final. “Geralmente somente 20% dos carros consegue terminar a corrida”. O Aurora tem três pilotos cadastrados para o dia, todos pertencentes à equipe. “Às vezes não é vantajoso ficar trocando de piloto porque perdemos tempo com isso, mas se deixarmos uma pessoa só, ela pode no final sofrer cansaço, desidratação e fadiga muscular”.

História - O Poli de Baja fez quinze anos em 2016, e já projetou e construiu mais de vinte veículos. Só com o Atlas, foram cinco competições, uma delas com direito à vaga para o mundial que acontece nos Estados Unidos. Porém, a equipe não conseguiu ir por falta de recursos. O grupo é coordenado pelo docente da Marcelo Alves, do Departamento de Engenharia Mecânica.

Monção conta que, por ser composto de estudantes da Poli, a quantidade de conhecimento que eles conseguem absorver com o grupo é muito grande. “Corremos atrás das inovações para o carro praticamente por conta própria, o que nos faz ir além da sala de aula e aprender muito mais”.

Com a entrada dos novos alunos em 2018, a equipe estará presente no evento de apresentação dos grupos de extensão do Departamento. A partir daí, eles começarão o processo seletivo.

 

Eleição para Diretoria da Poli-USP terá chapa única

Professores Liedi Legi Bariani Bernucci e Reinaldo Giudici são os candidatos que compõem a chapa para ocupar o cargo de Diretor e Vice-Diretor, respectivamente

No dia 8 de fevereiro, quinta-feira, se encerrou o segundo prazo para inscrição de chapas para eleições da Direção da Escola Politécnica da USP, e não houve novas candidaturas. Portanto, a eleição será realizada com uma única chapa, composta pelos docentes Liedi Legi Bariani Bernucci, para o cargo de Diretora, e Reinaldo Giudici, como Vice-Diretor. O programa de gestão pode ser acessado no link.

Sobre as votações - O primeiro turno será realizado das 9h às 12h do dia 7 de março de 2018. O colégio eleitoral é composto por todos os membros da Congregação e dos Conselhos dos Departamentos da Unidade. O Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos encaminhará aos eleitores, no dia da eleição, em seu e-mail institucional, o endereço eletrônico do sistema de votação e a senha de acesso com a qual o eleitor poderá exercer seu voto. O sistema eletrônico contabilizará cada voto, assegurando-lhe sigilo e inviolabilidade. Leia todos os detalhes na Portaria.

Os resultados - A totalização dos votos, tanto da votação eletrônica quanto da convencional, será divulgada imediatamente após o encerramento das apurações.

A página na qual estão sendo divulgadas as atualizações sobre a Eleição pode ser acessada aqui.

 

Matrícula dos aprovados na Poli-USP começa logo após o Carnaval

‘Batismo’ de lama e campanha de doação de cabelos são parte da programação de recepção dos calouros

 A matrícula dos aprovados pela Fuvest 2018 para os cursos de engenharia Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) será realizada logo após o Carnaval, nos dias 15 e 16 de fevereiro, no Campus do Butantã, na Capital. Os calouros deverão entregar a documentação solicitada entre 8h30 e 16h30 no prédio da Engenharia Civil da Escola (Av. Prof. Almeida Prado, travessa 2, nº 83, salas S-28 e S-30, Cidade Universitária – São Paulo). São esperados 783 ingressantes para a matrícula, número igual aos das vagas disponibilizadas pela Poli para o vestibular da Fuvest.

Os documentos necessários para efetuar a matrícula, de acordo com o Manual da Fuvest, são: Certificado de conclusão do curso de Ensino Médio ou equivalente e respectivo histórico escolar, ou diploma de curso superior devidamente registrado (uma cópia); documento de identidade oficial (uma cópia); uma foto 3x4 recente (com ou sem data), com menos de um ano. Veja outros detalhes no link.

No dia 15, os calouros poderão participar de diversas atividades organizadas pelas entidades estudantis da Poli e que ficarão concentradas ao lado do prédio da Administração. No local também serão montados estandes onde os membros do Grêmio Politécnico, da Atlética, dos centros acadêmicos de cada engenharia e dos coletivos, como Poligen, Politécnicas (R)existem, Poli Negra e Poli Pride, irão divulgar suas atividades.

Brincadeiras saudáveis – O Grêmio Politécnico promoverá o tradicional ‘Banho de Lama’ nos calouros, que já se tornou uma espécie de ritual de entrada na Poli. No local, haverá um caminhão-pipa para que os participantes possam se lavar depois da brincadeira. Também serão promovidas partidas de ‘Futebol de Sabão’ e ‘Luta de Cotonete’ em uma estrutura inflável, ambos garantia de tombos divertidos para quem participa e assiste.

“Tudo é pensado para que os ingressantes conheçam seus veteranos e se integrem ao ambiente universitário”, afirma Arthur Shimizu, presidente do Grêmio. São brincadeiras saudáveis, sem nenhuma violência. Na USP, o trote violento é proibido e há canais de comunicação para denúncias: 0800 012 10 90 ou Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

Doação de cabelos – Além das atividades festivas, a organização Poli Social promoverá uma campanha de doação de cabelos em parceria com o Instituto Amor em Mechas, entidade que produz perucas a partir de cabelos doados para mulheres que passam por tratamento de quimioterapia ou que sofrem de alopecia, doença que pode causar até a perda total dos cabelos.

Os calouros (ou qualquer pessoa) poderão cortar seus cabelos com três profissionais parceiros do Instituto. A ação será realizada no primeiro andar do prédio da Engenharia Civil, e deve começar às 8h30.

Trote solidário – A Poli Social também promove no dia 3 de março a quarta edição do Trote Solidário. Aproximadamente 100 calouros vão trabalhar como voluntários na Escola Marechal Deodoro da Fonseca, localizada na Praça Dr. Ênnio Barbato, 30, no bairro do Caxingui, Zona Oeste de São Paulo. Entre as melhorias que os voluntários farão no colégio está a pintura do muro externo e da quadra de esportes. O calouro pode se inscrever por meio deste link.

*************************

ATENDIMENTO À IMPRENSA

Acadêmica Agência de Comunicação

Janaína Simões – Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

(A assessora de imprensa estará presente no local no dia 15.)

11+ 5549-1863 / 5081-5238 (Acadêmica)

11+ 3091-5295 (Poli-USP)

 


Página 1 de 25