Prêmio CARO (Campo Adequadamente Regulado): inscrições se encerram amanhã, 21/08

Iniciativa irá premiar as melhores propostas para a simplificação e flexibilização regulatória dos campos onshore de produção de petróleo de gás.

Jovens estudantes, profissionais da indústria, pesquisadores acadêmicos e estudiosos, que tenham interesse em contribuir na formulação de uma regulação adequada aos campos onshore, têm até amanhã (21/8) para se inscrever no Prêmio CARO (Campo Adequadamente Regulado). O concurso irá selecionar as três melhores propostas com prêmios nos valores de R$ 3 mil, R$ 5 mil e R$ 10 mil.

A iniciativa tem o objetivo de fornecer subsídios para a flexibilização e simplificação regulatória dos campos onshore, melhorando a competitividade e o ambiente de negócios nas atividades terrestres de exploração e produção de óleo e gás no País. “Hoje, a regulação do setor é igual tanto para os campos em terra como para offshore; há exigências e punições inadequadas ao porte dos projetos onshore, o que inibe os investimentos”, afirma a professora Hirdan Katarina de Medeiros Costa, do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo e integrante do Fapesp Shell Research Centre for Gas Innovation (RCGI).

O IEE/USP é uma das entidades que integram o Comitê Executivo do Prêmio Caro. As demais são: Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Petróleo (ABPIP), Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip), FGV Energia, Senai Cimatec, Programa de Recursos Humanos da ANP (PRH/27), Plataforma EnergyC, Até o Último Barril e Sociedade de Engenheiros de Petróleo (SPE). O projeto conta com apoio institucional da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Inscrições e processo – As inscrições devem ser feitas por este link: https://lkt.news/projetocaro, onde também consta o edital do prêmio. No ato da inscrição, o candidato terá que responder duas perguntas, que servirão de base para avaliar o pensamento crítico a respeito da abrangência temática do projeto. Em seguida, os participantes melhores classificados na etapa anterior deverão enviar um pré-projeto do trabalho, seguindo as instruções do edital. Os trabalhos poderão ser desenvolvidos individualmente ou em grupo de até cinco pessoas.

Os participantes terão seis meses para executar o projeto. Eles serão acompanhados por mentores e terão acesso a uma biblioteca virtual para a pesquisa das informações. Uma banca examinadora, formada por membros executivos de alto conhecimento técnico na área, julgará os trabalhos.  Serão selecionados seis finalistas que concorrerão aos prêmios – 1º, 2º e 3º lugares. O resultado será divulgado em maio.