Edital 159/2013 – Doutor PEF – “Sistemas e Materiais Estruturais”

ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO CONCURSO DE TÍTULOS E PROVAS VISANDO O PROVIMENTO DE CARGO DE PROFESSOR DOUTOR, NO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ESTRUTURAS E GEOTÉCNICA

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Edital – EP/Concursos – 159/2013

 

O Diretor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo torna público a todos os interessados que, de acordo com o decidido pela Congregação em sessão de  17/10/2013, estarão abertas, pelo prazo de 90 (noventa) dias, no período de 20/11/2013 a 17/02/2014, de segunda a sexta feira, exceto feriados e pontos facultativos, das 9 às 11 ou das 14 às 16 horas, exceto feriados e pontos facultativos, as inscrições ao concurso público de títulos e provas para o provimento de um cargo/claro nº 1338930, de Professor Doutor, em RTC , referência MS-3.1, salário R$ 4.041,44 (quatro mil e quarenta e um reais e quarenta e quatro centavos), junto ao Departamento de Engenharia de Estruturas e Geotécnica com base na especialidade “Sistemas e Materiais Estruturais“, que se regerá pelos artigos 44 a 48, do Regimento Interno da Escola Politécnica.

INSCRIÇÕES E DOCUMENTOS

  1. As inscrições serão feitas no Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos da Escola Politécnica da USP, Avenida Professor Luciano Gualberto, 380 – Travessa 3 – Edifício Engenheiro Mário Covas Júnior – térreo, e no ato da inscrição o candidato assinará um requerimento dirigido ao Diretor da Escola Politécnica (formulário preenchido pelo Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos), acompanhado dos seguintes documentos:

I – memorial circunstanciado, em dez cópias, no qual sejam comprovados os trabalhos publicados, as atividades realizadas pertinentes ao concurso e as demais informações que permitam avaliação de seus méritos;

a)                       Comprobatórios (UMA VIA):

a-1. Entregar a documentação comprobatória do memorial acondicionada em pastas ou caixas, devidamente etiquetadas, com nome do candidato, número do edital e uma lista dos documentos nela contida; essa documentação será devolvida aos candidatos após a realização do concurso;

a-2. No caso de diplomas, certificados e atestados, deverão ser entregues cópias autenticadas ou cópias simples (os originais deverão ser apresentados na realização do concurso);

   a-3. O candidato deverá retirar os materiais comprobatórios ao final do concurso. Caso o material não seja retirado em até 15 dias corridos subsequentes a realização do concurso, esse será incinerado. O mesmo não se aplica a candidatos inscritos em editais que utilizarão o mesmo material.

II – prova de quitação com o serviço militar para candidatos de sexo masculino (cópia autenticada);

 III – título de eleitor e comprovante de votação da última eleição, prova de pagamento da respectiva multa ou a devida justificativa (cópia autenticada);

IV – RG ou documento com foto (cópia autenticada);

 V – prova de que é portador do título de Doutor, outorgado pela USP, por ela reconhecido, ou de validade nacional (cópia autenticada). Não serão aceitos protocolos.

Parágrafo 1º – Os documentos referidos nos incisos II, III. IV e V devem ser autenticados em cartório. Aos candidatos que não pertencem ao quadro de funcionários da USP, no ato da inscrição, não serão aceitas cópias simples dos documentos.

Parágrafo 2º – Os docentes e funcionários técnicos e administrativos em exercício na USP serão dispensados das exigências referidas nos incisos II e III, desde que as tenham cumprido por ocasião de seu contrato inicial e poderão entregar cópia simples dos demais documentos.

Parágrafo 3º – Os candidatos estrangeiros serão dispensados das exigências dos incisos II, III e IV, devendo apresentar cópia das páginas de identificação do passaporte, ou outro documento previsto na legislação.

Parágrafo 4º – No ato da inscrição, o candidato estrangeiro poderá manifestar por escrito a intenção de realizar as provas, na língua inglesa, nos termos do § 8º do artigo 135 do Regimento Geral. Os conteúdos das provas realizadas nas línguas inglesas e portuguesas serão idênticos.

1.1. Inscrições realizadas por terceiros serão aceitas mediante apresentação de procuração assinada pelo candidato, com firma reconhecida em cartório acompanhada de RG do procurador e cópias autenticadas de todos os documentos do candidato.

1.2. Não serão recebidas inscrições pelo correio e internet;

2. As inscrições serão julgadas pela Congregação, em seu aspecto formal, publicando-se no Diário Oficial do Estado a decisão em edital.

2.1. O candidato poderá acessar a informação de aceitação ou não de inscrição no Site do Diário Oficial do Estado de São Paulo www.imesp.com.br

PROVAS:

3. O concurso deverá ser realizado no prazo de trinta a cento e vinte dias, após a aprovação das inscrições. A contagem será a partir da publicação no Diário Oficial.

3.1. A agenda dos trabalhos será elaborada pela Comissão Julgadora no primeiro dia do certame e os candidatos receberão cópia da mesma.

3.2. O candidato que se apresentar depois do início dos trabalhos ou de qualquer prova do concurso, na primeira ou na segunda fase, estará automaticamente excluído do concurso público, não sendo admitida qualquer tolerância.

3.3. As provas constarão de:

I – Julgamento do memorial com prova pública de arguição;

II – Prova didática;

III – Prova escrita.

4. JULGAMENTO DO MEMORIAL

O julgamento do memorial, expresso mediante nota global, incluindo arguição e avaliação, deverá refletir o mérito do candidato.

Parágrafo 1º – No julgamento do memorial, a Comissão apreciará:

I – produção científica, literária, filosófica ou artística;

II – atividade didática universitária;

III – atividades relacionadas à prestação de serviços à comunidade;

IV – atividades profissionais;

V – diplomas e dignidades universitárias.

5. DIDÁTICA

A prova didática será pública, com a duração mínima de quarenta e máxima de sessenta minutos, e versará sobre o programa deste edital, nos termos do art. 137, do Regimento Geral da USP.

Parágrafo Primeiro – O sorteio do ponto será feito 24 horas antes da realização da prova didática.

Parágrafo Segundo – O candidato poderá utilizar o material didático que julgar necessário.

Parágrafo Terceiro – O candidato poderá propor substituição dos pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados, se entender que não pertencem ao programa do concurso, cabendo à comissão julgadora decidir, de plano, sobre a procedência da alegação.

Parágrafo Quarto – A aula deverá ser em nível de graduação.

6.     ESCRITA

A prova escrita, que versará sobre assunto de ordem geral e doutrinária, será realizada de acordo com o disposto no art. 139 e seu parágrafo único do Regimento Geral da USP.

I – a comissão organizará uma lista de dez pontos, com base no programa de concurso e dela dará conhecimento aos candidatos, vinte e quatro horas antes do sorteio do ponto;

II – sorteado o ponto, inicia-se o prazo improrrogável de cinco horas de duração da prova;

III – durante sessenta minutos, após o sorteio, será permitida a consulta a livros, periódicos e outros documentos bibliográficos;

IV – as anotações efetuadas durante o período de consulta poderão ser utilizadas no decorrer da prova, devendo ser feitas em papel rubricado pela comissão e anexadas ao texto final;

V – a prova, que será lida em sessão pública pelo candidato, deverá ser reproduzida em cópias que serão entregues aos membros da comissão julgadora, ao se abrir à sessão;

VI – cada prova será avaliada pelos membros da comissão julgadora, individualmente.

Parágrafo Único – O candidato poderá propor a substituição de pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados, se entender que não pertencem ao programa do concurso, cabendo à comissão julgadora decidir, de plano, sobre a procedência da alegação.

VII – O candidato poderá usar computador nesta prova, ficando a critério da Comissão Julgadora do Concurso. A CPU será verificada, conforme determina a Circ.SG/Co/70, de 5/09/2001, e documento aprovado pela Egrégia Congregação em 28/02/2002.

RESULTADO FINAL DO CONCURSO

 

6.    O resultado do concurso será imediatamente proclamado pela comissão julgadora, em sessão pública.

7.    Serão considerados habilitados os candidatos que obtiverem, da maioria dos examinadores, nota final mínima sete.

8.    Será proposto para nomeação o candidato que obtiver maior número de indicações da comissão julgadora.

9.    O empate de indicações será decidido pela Congregação, ao apreciar os relatórios da comissão julgadora, prevalecendo, sucessivamente, a média geral obtida, o maior título universitário e o maio tempo de serviço docente na USP.

10. A proposta de nomeação do candidato será encaminhada ao Reitor, nos vinte dias subsequentes à homologação do concurso pela Congregação.

COMISSÃO JULGADORA

11. A Comissão Julgadora será constituída por cinco membros indicados pela Congregação, por proposta do Conselho do Departamento.

§ 1º – Os membros da comissão julgadora deverão possuir título acadêmico igual ou superior ao do candidato de maior titulação.

§ 2º – Dentre os membros da comissão, pelo menos um e no máximo dois deverão pertencer ao Departamento.

PROGRAMA

 

12. O programa do concurso é o seguinte:

 

1. Fundamentos do projeto de estruturas

1.1 Concepção de estruturas

1.2 Conceitos básicos de reologia

1.3 Segurança de estruturas

1.4 Análise linear e não‑linear de estruturas de barras

1.5 Análise linear de estruturas laminares planas: placas e chapas

1.6 Fundamentos de estabilidade do equilíbrio

1.7 Noções de dinâmica das estruturas

1.8 Efeitos de vento sobre as estruturas

1.9 Fundamentos de análise experimental de estruturas

1.10 Análise experimental de estruturas sob ação do vento

2. Estruturas de concreto

2.1 Requisitos de desempenho de estruturas de concreto

2.2 Propriedades dos materiais

2.2.1 Concreto

2.2.2 Aço para armaduras passivas

2.2.3 Aço para armaduras ativas

2.3 Modelos básicos de comportamento do concreto estrutural

2.3.1 Bases experimentais dos modelos de comportamento do concreto estrutural

2.3.2 Aderência e ancoragens

2.3.3 Protensão

2.3.4 Modelos para solicitações normais

2.3.5 Modelos para solicitações tangenciais

2.3.6 Dutilidade

2.3.7 Regiões especiais: modelos “biela‑tirante”

2.4 Análise de estruturas de concreto

2.4.1 Critérios para utilização de análises lineares

2.4.2 Consideração da não linearidade física

2.4.3 Consideração da não linearidade geométrica

2.4.4 Análise da estabilidade do equilíbrio

2.5 Dimensionamento, verificação e detalhamento de vigas e pilares nos estados‑limites último e de utilização

2.6 Dimensionamento, verificação e detalhamento de lajes nos estados‑limites último            e de utilização

2.7 Dimensionamento, verificação e detalhamento de elementos especiais

2.8 Estruturas usuais de concreto

2.9 Análise experimental de estruturas de concreto

 

3. Estruturas de Aço

3.1 Propriedades do aço estrutural

3.1.1 Tipos de aço: diagramas tensão-deformação

3.1.2 Critérios de resistência

3.1.3 Tensões residuais

3.1.4 Comportamento sob temperatura elevada

3.2 Análise de estruturas de aço

3.2.1 Estabilidade do equilíbrio de barras de aço retas

3.2.2 Estabilidade do equilíbrio e comportamento pós‑critico de chapas de aço

3.2.3 Teoria de torção de Saint‑Venant

3.2.4 Teoria de torção de Vlassov

3.3 Dimensionamento e verificação de vigas e pilares de aço

3.3.1 Produtos de aço para uso estrutural: perfis laminados, soldados, de chapa dobrada

3.3.2 Peças tracionadas

3.3.3 Peças comprimidas: barras simples e colunas treliçadas

3.3.4 Flexão simples: tensões, estudo da flambagem lateral e da flambagem local

3.3.5 Flexão composta: equações de interação

3.4 Ligações

3.4.1 Tipos de ligações

3.4.2 Conectores

3.4.3 Ligações parafusadas

3.4.4 Ligações soldadas

3.4.5 Projeto e detalhamento de ligações: comportamento idealizado

3.5 Estruturas usuais de aço

3.6 Análise experimental de estruturas de aço

3.6.1 Análise de ligações: instrumentação de conectores, concentração de tensões, determinação das relações momento-rotação de ligações

3.6.2 Análise de barras: caracterização dos materiais, determinação da resistência de barras sob carregamento estático e dinâmico, análise experimental da instabilidade e comportamento pós-crítico de chapas e barras

Este programa foi elaborado com base nas seguintes disciplinas:

DISCIPLINAS DE GRADUAÇÃO:

PEF-2303 – Estruturas de Concreto I

PEF-2304 – Estruturas de Concreto II

PEF-2402 – Estruturas Metálicas e de Madeira

DISCIPLINAS DE PÓS‑GRADUACAO

PEF‑5734 – Projeto de Estruturas Metálicas I

PEF-5735 – Análise Dinâmica de Estruturas com Comportamento Linear

PEF‑5736 – Aspectos Tecnológicos de Materiais Estruturais

PEF‑5738 – Ações e Segurança das Estruturas

PEF‑5739 – Projeto de Estruturas Metálicas II

PEF-5745 – Concreto Estrutural I – Esforços Resistentes

PEF-5746 – Concreto Estrutural II – Análise da Estabilidade

PEF-5747 – Concreto Estrutural III – Protensão e Industrialização

PEF-5794 – Análise Experimental de Estruturas

(Versão em inglês do Programa do Concurso)

  1. Fundamentals of Structural Design:

1.1.    Structural design.

1.2.    Basic concepts of constitutive models.

1.3.    Structural safety.

1.4.    Linear and non-linear analysis of framed structures.

1.5.    Linear analysis of plane structures: two-dimensional problems in elasticity.

1.6.    Fundamentals of equilibrium stability. 

1.7.    Fundamentals of structural dynamics.

1.8.    Wind effects on structures.

1.9.    Fundamentals of experimental analysis of structures.

1.10. Experimental analysis of structures under wind action.

  1. Concrete Structures

2.1.       Performance requirements of concrete structures.

2.2.       Properties of materials.

2.2.1.   Concrete.

2.2.2.   Steel for passive reinforcement.

2.2.3.   Steel for active reinforcement.

2.3.       Basic models of structural concrete.

2.3.1.   Experimental basis.

2.3.2.   Bond and anchorages.

2.3.3.   Prestressed Concrete.

2.3.4.   Models for normal internal forces.

2.3.5.   Models for tangential internal forces.

2.3.6.   Ductility.

2.3.7.   Special regions: models “strut and tie”.

2.4.        Analysis of concrete structures.

2.4.1.   Criteria for linear analysis.

2.4.2.   Consideration of physical nonlinearity.

2.4.3.   Consideration of geometrical nonlinearity.

2.4.4.   Analysis of balance stability. 

2.5.       Dimensioning, verification and detailing of beams and columns for ultimate and serviceability limit states.

2.6.       Dimensioning, verification and detailing of slabs for ultimate and serviceability limit states.

2.7.       Dimensioning, verification and detailing of special elements. 

2.8.       Usual concrete structures.

2.9.       Experimental analysis of concrete structures.

  1. Steel Structures

3.1.    Properties of structural steel.

3.1.1.   Types of steel: tension-deformation diagrams.

3.1.2.   Strength criteria.

3.1.3.   Residual stresses.

3.1.4.   Behavior under high temperature.

3.2.    Analysis of steel structures.

3.2.1.   Stability of equilibrium of straight steel bars.

3.2.2.   Stability of equilibrium and post-critical behavior of steel plates.

3.2.3.   Saint-Venant’s theory of torsion.

3.2.4.   Vlassov’s theory of torsion.

3.3.    Dimensioning and verification of steel beams and pillars.

3.3.1.   Steel products for structural use: rolled shapes, soldered, folded plate.

3.3.2.   Thrust parts.

3.3.3.   Compressed parts: simple bars and truss columns.

3.3.4.   Simple Bending: stresses, study of the lateral torsional buckling and of local buckling.

3.3.5.   Combined bending: equations of interaction.

3.4.    Connections

3.4.1.   Types of connections.

3.4.2.   Connectors.

3.4.3.   Bolted connections.

3.4.4.   Welded connections.

3.4.5.   Design and detailing of connections: idealized behavior.

3.5.    Usual Steel Structures.

3.6.    Experimental Analysis of Steel Structures.

3.6.1.   Connection Analysis: instrumentation of connectors, concentration of tensions, determining relationships of link moment-rotation.

3.6.2.    Analysis of bars: material characterization, determination of bar strength under static and dynamic loading, experimental analysis of instability and post-critical behavior of plates and bars.

This program is based on the following courses:

Undergraduate Courses:

PEF 2303 – Concrete Structures I

PEF 2304 – Concrete Structures II

PEF 2402 – Steel and Wooden Structures

 

Graduate Courses:

PEF-5734 – Steel Structures Design I

PEF-5735 – Linear Dynamic Analysis

PEF-5736 – Technological Aspects of Structural Materials

PEF-5738 – Structural Loads and Safety

PEF-5739 – Steel Structures Design II

PEF-5745 – Structural Concrete I – Resistant Internal Forces

PEF-5746 – Structural Concrete II – Stability Analysis

PEF-5747 – Structural Concrete III – Prestressing and Industrial Production

PEF-5794 – Experimental Analysis of Structures

ADMISSÃO

13. A admissão do candidato aprovado no RTC – Regime de Turno Completo dependerá de aprovação prévia da CERT.

14. O candidato indicado pela Comissão Julgadora deverá comparecer ao Serviço de Pessoal da Escola Politécnica da USP, para dar andamento a sua contratação.

15. A posse do candidato indicado ficará sujeita à aprovação em exame médico realizado pelo Departamento de Perícias Médicas do Estado – DPME, nos termos do art. 47, VI da Lei nº 10.261/68.

16. O candidato estrangeiro aprovado no concurso e indicado para o preenchimento do cargo só poderá tomar posse se apresentar visto temporário ou permanente, que faculte o exercício de atividade remunerada no Brasil.

17. O concurso terá validade imediata, exaurindo-se com a nomeação dos candidatos aprovados.

Informações e normas pertinentes ao concurso acesse o site www.usp.br/normas (Regimento Geral da USP);

Informações dos editais publicados acesse o site www.imesp.com.br

Contatos: e-mail: svorcc@poli.usp.br