Manifesto da Egrégia Congregação da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo em Referência aos Cortes de Verbas para a Área de Ciência e Tecnologia

Recente corte orçamentário, somado a vários outros nos últimos tempos, têm reduzido substancialmente os recursos destinados pelo Governo Federal à pesquisa científica e tecnológica. Matéria recentemente publicada na Revista FAPESP mostra uma redução de mais de 80% no orçamento do MCTI nos últimos 6 anos.

A saúde econômica de um país e o bem estar de uma sociedade estão intimamente ligados ao avanço e aplicação do conhecimento científico e tecnológico, sem os quais não se alcança o protagonismo e a independência nas relações comerciais, políticas e diplomáticas com os demais países.

O avanço desse conhecimento depende de políticas claras e da perenidade de financiamento, sem os quais não se consolida uma estrutura e uma massa crítica robusta de cientistas e pesquisadores capazes de gerar os conhecimentos e produtos tecnológicos fundamentais para o Brasil. A ausência destas condições, na verdade, promove a diáspora de nossas e nossos cientistas e pesquisadores, destruindo as condições necessárias para tornar-nos um país avançado sob todas as dimensões.

A Egrégia Congregação da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo vem a público manifestar sua indignação e repulsa ao recente corte de mais 690 milhões de reais nos recursos federais destinados à ciência, pesquisa, inovação e tecnologia.

Tendo em vista tal situação, a Congregação da Escola Politécnica alerta a sociedade e chama à responsabilidade as instâncias governamentais para a necessária recomposição dos recursos, com vistas a  interromper a desvalorização dos profissionais e a desagregação dos centros de desenvolvimento de ciência e pesquisa no Brasil. Que as instâncias governamentais relembrem sua missão de proteger a sociedade.

São Paulo, 21 de outubro de 2021